terça-feira, 10 de junho de 2014

"Cristo, meu Mestre, meu amigo sem igual..." (COWBOYS!!)

Hino 290 do "Cantor Cristão", o segundo mais antigo hinário brasileiro, sendo o primeiro o "Salmos e Hinos".

Cristo, meu Mestre, meu amigo sem igual,
Tu dás descanso, salvação real.
Quando sou provado, e já vou desfalecer,
Tu, meu Cristo amado, vens me socorrer.

Perto, mui perto, eu chegar-me vou a ti:
Perto, mui perto, vem, Senhor, a mim.

Só tu me amparás: quando perseguido sou,
Em ti, ó Cristo, socorrer-me vou.
Pois em ti eu posso resistir à tentação,
Sim, em ti obtendo força, paz, perdão.

Cristo, meu Mestre, que mais gozo posso ter
Que no teu reino tua glória ver?
Em teu seio quero minha fronte reclinar,
Para ter descanso desse labutar. 

________________________


COMENTÁRIO:

Aprendi este hino no primeiro ano de meu ingresso ao Exército de Salvação, em 1962, pois meu oficial dirigente (pastor) gostava de também cantá-lo em solo. As palavras do inspirado hino sempre calaram fundo no meu coração, e cantei-as muitas vezes em momentos em que do Senhor precisava muito, como diríamos hoje "quando precisava de um ombro amigo" (Em Teu seio quero minha fronte reclinar). Hoje não consta mais no cancioneiro salvacionista, mas na lembrança é um hino muito presente.

Então, há poucos dias, enquanto digitava no meu computador e ao mesmo tempo dava um "rolê" nos canais de TV, ouvi a música do referido hino que, estranhamente, não vinha do canal evangélico, mas do Nordic TCM, canal que passa filmes bem antigos aos quais às vezes assisto. E a cena em que a referida música tocava era a de um baile e casais dançando, em um saloon, pasmem! O filme, certamente da década de 40, posso garantir que tinha como ator o australiano Errol Flynn, embora não possa garantir 100% se era o filme do cartaz acima. A "mocinha" era também Alexis Smith, portanto, quase certeza de que era.

Não fui tomado de total surpresa, pois sei que muitos hinos antigos que cantamos provêm de músicas populares nas quais autores inseriram letra evangélica. Um colega australiano que também fazia pesquisa de histórias de hinos, contou-nos em um acampamento de música que o abençoadíssimo coro "Que a beleza de Cristo se veja em mim" era uma musiquinha bem antiga que se chamava "Pula, pula, moça bonita!"...

Quando contei neste blog a história de um dos mais conhecidos hinos, cantado por todas as igrejas, escrevi o texto abaixo:


Herbert Howard Booth, um dos filhos do fundador do ES, era um escritor inspirado.
No hinário do The Salvation Army há mais hinos escritos por ele do que por qualquer outro compositor. Muitas vezes utilizou músicas populares (music-hall) para os hinos que escrevia. Um deles é o acima, "Foi na cruz, foi na cruz, onde um dia eu vi meu pecado castigado em Jesus!", hino "convertido" que ao longo dos tempos tem trazido milhares de pessoas a Cristo, a Luz do Mundo.

Se saber disto escandaliza alguns evangélicos mais conservadores, a mim é também uma demonstracão de que "o Filho de Deus veio buscar e salvar o que se havia perdido", inspirando Seus servos a se preciso for baixar ao nível da ovelha perdida para alcancá-la, usando filmes (foi o meu caso) e mesmo "convertendo" músicas conhecidas por essas ovelhas. 

O HINO AO PIANO (o único que encontrei no YouTube.com)


https://www.youtube.com/watch?v=UV31Cggfofc


________________________________

A propósito dos "cowboys", apresento novamente a história de como nasceu outro hino, sugestão do famoso ator John Wayne, um dos maiores cowboys do cinema americano:

Não é segredo, Deus dá poder; o que deu a outros...

It is no secret what God can do...



 



Stuart Hamblen foi um cantor popular, compositor, ator, poeta e radialista dos anos 1930 a 1950. Apareceu em filmes com os famosos cowboys Roy Rogers, Gene Autry e John Wayne. Alguns o chamaram de o principal cantor de músicas de cowboy.

Embora Stuart fosse conhecido como quem gostava muito de beber e de levar uma vida frívola, fora no passado filho de um pastor metodista. Quando Billy Graham foi a Los Angeles, em 1949, para o que pode ser considerada uma histórica cruzada evangelística, Stuart o convidou para participar de seu programa de radio. Graham, por sua vez, convidou-o para a cruzada e ele aceitou. 
Stuart mais tarde contatou Graham no hotel e pediu para que conversassem e o resultado foi que Stuart entregou sua vida a Cristo.  Assim, a conversão de uma figura pública naquela cruzada foi muito comentada.


Certa vez, encontrando John Wayne em uma rua de Hollywood, o ator quis saber mais a respeito dos rumores de que havia mudado de vida. Stuart contou-lhe que não era segredo o que Deus fizera por ele, acrescentando que poderia fazer o mesmo por John Wayne. O famoso ator comentou que suas palavras soavam como uma melodia e sugeriu que a escrevesse. Stuart aceitou o conselho de John e escreveu It is no secret what God can do (Não é segredo o que Deus pode fazer). A melodia-hino tornou-se o mais conhecido de seus hits. 


Depois de sua conversão, Hamblen anunciou que devotaria seu tempo a servir a Cristo e iniciou um novo programa radiofônico chamado "A Igreja dos Cowboys no Ar". Restaurado pelo poder de Jesus Cristo do vício que o dominara, Hamblen enfrentou confrontação com alguns patrocinadores quando se recusou a fazer comerciais de bebidas alcoólicas em seu programa.


O corinho, conhecido em muitas igrejas, teve a tradução de suas estrofes pelo poeta salvacionista, Bruno Behrendt. Traduzido para dezenas de idiomas, Deus tem usado "o corinho sugerido a Stuart Hamblen pelo ator John Wayne" para levar muitas pessoas à conversão e a um viver vitorioso em Jesus Cristo.

__________________________________

Escute-o cantado por Stuart Hamblen

http://www.youtube.com/watch?v=IHIaEKYDxWQ



... por Elvis Presley,

http://www.youtube.com/watch?v=mPL7Rmyu3Xg



... e pelos Heritage Singers

http://www.youtube.com/watch?v=bqx0ldA8UUE


_______________________________________________

2 comentários:

  1. Stuart Hamblen , legal saber um pouco de sua história, acho lindo estes hinos. Este filme Santo Antonio , eu tenho vou rever . beijos e obrigada por compartilhar.

    ResponderExcluir
  2. Enquanto escrevo, assistindo a um filme de cowboy dos anos 40 ou fim dos anos 30, com Clark Gable... e a música de fundo "Mid all the traffic", a de um hino que já postei neste meu blog2!! Comprova a utilizacão de velhas cancões "convertidas" em hinos evangélicos.

    ResponderExcluir